Queijos Artesanais

Conheça nossa variedade escolhendo pelo tipo de leite, selecione abaixo.

Tipo Brie - 1kg (caixa com 2 unidades)

Código Interno: 0230

Brie
Brie

Por: R$145,40

Em Estoque

ATENÇÃO: Produto vendido por unidade mas cobrado por quilo. O valor acima representa o preço médio de uma peça.

De origem francesa, o Brie é um famoso queijo de leite vaca da região da Ilha de França, sendo maturado por 2 semanas.

O Brie é um queijo mole de textura aveludada, suave, e cremosa, cor amarela palha e com casca recoberta por mofos brancos e por vezes amarelados. Possui um sabor suave, amanteigado e um pouco doce, muito aromático e rico.

O queijo Tipo Brie Serra das Antas é um queijo redondo com dois tamanhos distintos, com aproximadamente 20cm e 33cm, pesando em torno de 1kg e 2,7kg respectivamente. São comercializados em caixas com duas unidades do Brie de 1kg, em caixas com uma unidade do Brie de 2,7kg, em caixas com 12 fatias embrulhadas individualmente de aproximadamente 170g e em embalagens individuais de 220g, todas com validade de 60 dias (2 meses).

Assim como todos os queijos, o Brie deve ser conservado refrigerado em temperatura máxima de 8°C.

Alergênicos: Contém Leite.

Não Contém Glútem.

Obs.: Este queijo possui sua denominação de origem protegida. Deste modo, por se tratar de um queijo produzido no Brasil, deve apresentar a denominação "Tipo" antes de seu nome.

Brie de Meaux foi criado na idade média por monges do Priorato de Rueil em Brie. Sua reputação começou quando, em 774, o Imperador Francês Carlos Magno parou no priorato e descobriu um queijo que o agradou tanto que ele pediu que fosse entregue regularmente em seu castelo em Aquisgrano (Aachen).

Em 1217, o Rei da França Felipe II julgou o queijo como tão bom que ele enviou duzentas formas de Brie de Meaux para todos os membros da corte como presente de ano novo.

O famoso poeta Eustache Deschamps era um amante do queijo, mas não da França; ele disse “Brie de Meaux é a única coisa boa a vir deste país”.

E, durante a famosa fuga de Luís XVI de sua prisão na casa de Sausse, Varennes, ele perdeu preciosos minutos para satisfazer seu apetite voraz com Brie e vinho tinto.

Entretanto foi apenas no século dezenove que o Brie de Meaux realmente viu sua popularidade decolar. Em um dos maiores banquetes da história, no Congresso de Viena, dizem que o diplomata francês Talleyrand pediu uma pausa na divisão das nações, consequência da queda do Império Francês, para realizar um concurso de queijos. Lord Castlereagh representou os ingleses com o Stilton, o ministro holandês Baron de Falck designou o Limberger, a Itália apresentou o Stracchino e a Suiça o Gruyere, para nomear alguns.

Após a votação todos eles elogiaram a gastronomia francesa, concordaram que não havia nenhum outro queijo que podeia se igualar ao Brie de Meaux e declararam um novo rei “Le Roi des Fromages” (Rei dos Queijos).

Informação Nutricional (?)

98kcal . . . . . . . . . . . . . . 5%
0g . . . . . . . . . . . . . . . . . 0%
5,8g . . . . . . . . . . . . . . . . 8%
8,4g . . . . . . . . . . . . . . . 15%
4,6g . . . . . . . . . . . . . . . 21%
0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . -
0g . . . . . . . . . . . . . . . . . 0%
194mg . . . . . . . . . . . . . . .8%
110mg . . . . . . . . . . . . . .11%

A embalagem do queijo lhe permite continuar maturando, mesmo sob refrigeração, então deguste-o em diferentes estágios da maturação para determinar o “ponto” ideal para o seu paladar.

A presença de um coração mais branco denota que o queijo ainda não atingiu sua maturação máxima, mas mesmo neste estágio já apresenta sabor característico, mais suave nesta parte e mais pronunciado próximo à casca. Quanto mais jovem, mais branco e mais lácteo será o sabor.

Tire-o da refrigeração e da embalagem uma hora antes de servi-lo, isto dará à massa a consistência adequada e liberará os seus melhores sabores. A temperatura ideal de consumo fica entre 18 e 20ºC.

Consuma-o, preferencialmente com a casca, acompanhado por uma bela “baguette” crocante. Numa tábua de queijos, pode ser combinado com Pont L’Évêque, Saint-Marcellin, Gorgonzola dolce, frutas secas, geleias de frutas vermelhas ou mel. Quando mais jovem é apreciado no café da manhã associado a geleias e torradas levemente doces.

Tem difícil harmonização com vinhos, podendo gerar sabor metálico se degustado com vinhos muito tânicos. Dê preferência aos brancos leves como um Gewustraminer, um Riesling ou um Bordeaux branco. Não se esquecendo do Champagne nos aperitivos.

Se preferir tinto, tente algum bem leve e frutado, com pouco tanino, como alguns do Vale do Loire, alguns Beaujolais ou algum Pinot Noir jovem e frutado como os da Alsácea, Champagne ou América do Sul.

Para os queijos de mofo branco procuram-se cervejas com sabores mais frutados que também possuam certa acidez, assim como as geleias. Cervejas do tipo Fruit Beer, Lambic (principalmente as frutadas), Saison ou as de trigo Weizenbier (ou Weissbier) e Witbier são as preferidas. 

Sempre o conserve refrigerado (entre 3 e 10°C). Quanto mais alta a temperatura de conservação mais rápida e intensa será a maturação.

Para evitar ressecamento da casca, acomode-o em recipiente tampado. Isto também evitará que o queijo transfira ou receba aromas dos outros alimentos.

Ao abrir a embalagem procure conservar o papel parafinado para reembalá-lo se necessário, na impossibilidade disto, reembale-o em filme de PVC esticável. Recomenda-se consumi-lo em até sete dias depois de aberto, mas se bem embalado e refrigerado, certamente este prazo poderá ser estendido. Lembre-se que o queijo continuará maturando.

Só o congele em último caso, preferencialmente com o queijo já bem maturado. Depois de descongelado consuma-o completamente, certamente haverá mudança na consistência da massa. A conservação após o descongelamento não é boa.

Processando...